29 de setembro de 2006

Preço da gasolina

Porque é que das 2 últimas vezes que fui meter gasolina esta baixou no dia a seguir? E lá foram 50 cêntimos...

28 de setembro de 2006

VIII aniversário do Google

Estava a fazer uma pesquisazita no Google e deparo-me com um logo diferente (como fazem em várias ocasiões). Desta vez é o VIII aniversário.

O logo é este

Reparem na posição das velinhas.

É caso para dizer: parabéns Google e obrigado por estes 8 anos de pesquisas.

26 de setembro de 2006

Prós e contras: Portugal e Espanha!

Estive a ver esta noite o Prós e Contras, como tenho feito habitualmente. O tema era interessante e tinha a participação muito insólita e mediática de José Maria Aznar.

Achei o programa bastante interessante, nomeadamente a participação descontraída e aberta de Aznar, embora por vezes evasiva. Fátima Campos Ferreira, a apresentadora, esteve bastante activa, com alguma convivência com Aznar, tendo colocado questões bastante complicadas para este, tendo-se esquivado em algumas respostas e sido directo noutras. Pode estar destreinado da televisão, mas as "manhas" continuam.
Foi abordado directamente com Aznar o crescimento da Espanha, nomeadamente na economia e no emprego (de 12 milhões em 1976 e em 1996 para 18 milhões de empregados em 2006, ou seja, crescimento 0 em 20 anos e 50% em 10 anos) nos anos em que Aznar foi presidente do Governo espanhol. Um ponto que Aznar frisou foi que tal crescimento, na opinião dele só consegue ter sucesso se o peso do estado na economia diminuir. Não é nada que não tenha sido falado em Portugal. Mas ainda referiu que faltam algumas reformas, como a fiscal.

Outra participação interessante foi a do Director-geral da Seur (creio ser este o cargo). É um homem que mostrou ter conhecimento de diversas áreas das relações económicas entre Portugal e Espanha, tendo falado algum tempo e tendo abordado vários assuntos: desde o peso da banca espanhola em Portugal até à personalidade portuguesa e à forma como os portugueses entram no mercado espanhol e o abordam. Foi abordado o tema da forma como as pessoas se tratam em Espanha e Portugal: tu em Espanha e senhor doutor em Portugal, mas isso não será o problema da expansão.

Manuel Dias Loureiro e Hernâni Lopes foram os outros dois convidados presentes em palco. Tiveram um discurso com um ritmo completamente diferente: o primeiro muito rápido e o segundo muito lento, que deriva das suas personalidades.
Abordaram vários assuntos das relações ibéricas, nomeadamente a relações económicas.

Outra presença foi a do presidente da EDP, onde foi abordada a questão do proteccionismo estatal, que foi abordado com o pretexto da não presença da Iberdrola no conselho superior da EDP, apesar de ter uma presença forte na estrutura accionista da EDP, sendo o segundo maior accionista e o maior privado. Trata-se de uma ausência, por enquanto, motivada em grande parte por alguma pressão política. O proteccionismo existe, sendo que neste caso deve-se ao facto de a Iberdrola ser um gigante da mesma área que a EDP, e o medo que daí advinha de o sector energético português ficar controlado, nem que seja em parte, por uma empresa espanhola, levantando algumas questões de mercado que não são fáceis de resolver. Outro assunto abordado foi o Mibel, o mercado ibérico de energia que, após sucessivos atrasos derivados de mudanças políticas nos 2 países, finalmente arrancou este ano, em Julho.

A forma como as empresas portuguesas partem para Espanha, à procura da expansão, foi outro assunto abordado, com a questão das diferentes Espanhas (Galiza, Catalunha, País Basco, Astúrias, Andaluzia, etc) a ter que ser pensada, ou não, mas o problema de gestão da expansão tem que se manter, pois qualquer mercado é complicado.

A questão burocrática, pela forma como certos procedimentos administrativos legais são lentos em Portugal, mas rápidos em Espanha. Isso pode ser um impedimento no arranque, mas depois torna-se num obstáculo que ficou para trás e foi ultrapassado.

As oportunidades de crescimento surgiram em Portugal e na Espanha em alturas semelhantes, derivadas da adesão à União Europeia. A história dos dois países tem muito tempo, embora Portugal seja o país europeu com fronteiras mais estáveis, e está muito ligada e feita em paralelo: descobrimentos, império e sua queda, ditadura fascista, união europeia e moeda comum. Agora poderá haver uma união económica, com empresas dos 2 países a expandirem-se pelo mercado ibérico e a fazerem sinergias para se expandirem para outros mercados, onde a sua união pode ajudar a que ambos vinguem.

Outra questão colocada foi o porquê de muitas PMEs espanholas estarem a ir embora de cá, mas as grandes empresas conseguem manter-se.

Hernâni Lopes abordou uma questão muito importante a resolver e ultrapassar na forma como os portugueses não arriscam quando se expandem, ou quando fazem negócios em geral.


Foi um grande debate, quer pelos convidados, quer pelo tema, quer pela abordagem.

22 de setembro de 2006

Penalti a 5 metros da área

E não foi em Portugal...

15 de setembro de 2006

14 de setembro de 2006

Uma gargalhada para animar:

13 de setembro de 2006

ADSL em Ponte de Lima

Já há algum tempo que ando para falar disto aqui, mas parece que vai ser agora.

Ponte de Lima é um concelho situado no Norte do país, no centro-sul do Alto Minho. Temos mais de 44 mil habitantes (44 303 segundo os Censos 2001, o que faz uma densidade 135 hab/km2 face aos cerca de 320,3 km2 de área) e a crescer, somos o 2.º maior concelho do Distrito, temos uma vila, mas com condições para cidade pequena. Há duas auto-estradas a servirem o concelho: uma divide de Norte para Sul (A3) e a outra de Este para Oeste (A27). Existem alguns polos industriais no concelho, e alguns em construção, em várias freguesias. A principal actividade da população é a agricultura, mas os mais novos estão a abandoná-la.

Porquê esta explicação toda? Simples, porque eu observo o mapa das centrais com DSLAM's instalados (equipamento localizado nas centrais da PT Comunicações ao qual os clientes de ADSL se encontram ligados) e vejo uma separação: em grosso, o Oeste não tem equipamentos, mas o Este tem.
Isto porque existem centrais nas freguesias de Ponte de Lima, Refoios do Lima, S. Martinho da Gandra (Gandra), Rebordões e Barrio.
Uma imagem com as fregusias do concelho pode ser vista aqui.

Vou explicar um pouco os problemas do ADSL em locais menos povoados.
A tecnologia ADSL é uma tecnologia que assenta nas redes de cobre usadas para o telefone. O telefone funciona com qualidade, mesmo que o cabo percorra largas distâncias, no entanto em ADSL, a distância máxima para a tecnologia funcionar em condições é de cerca de 6 Km, embora acima dos 5 comece a ficar instável. A distância máxima recomendada é de 2,5 Km, mas estas distâncias são medidas/tamanho do cabo, já que a distância em linha recta será relativamente inferior.
E aqui é que surgem os problemas nos locais mais remotos e com menos população, pois as casas servidas por uma central terão a tendência a serem poucas, principalmente em locais de residências monofamiliares, o que acontece bastante em Ponte de Lima.

Ponte de Lima até está na vanguarda do ADSL: brevemente a PT Comunicações vai disponibilizar aos seus clientes ofertas baseadas em ADSL2+ que permitirão alcançar velocidades até 24 Mbps, e Ponte de Lima já tem uma das centrais equipadas com equipamento compatível.

Porque é que o Desktop em Linux não vinga?

Estava a ver umas notícias no osnews e encontrei este artigo sobre esta temática. São abordados vários pontos interessantes, embora eu não concorde com todos os aspectos, uma vez que vão surgindo distribuições Linux que vão retirando alguma da complexidade que pode afastar os utilizadores do Windows de usarem Linux. Mas haverá sempre a questão da complexidade da instalação do Hardware, devido à falta de drivers, mas isso está a mudar.

Fica um excerto:

There's more. If you ask people why they don't swith to Linux—and get an answer—most often the answer will be games. Another difference between technology enthusiasts and the mob is that the former consider the computer as a tool, while the latter perceive it as an entertainment device. While it does not mean the former cannot be a gamer, that won't stop him from running his favorite OS, but the latter won't see it as being worth the hassle. Get real: most people use their desktop computer for chatting, steal^H^H^H^H^Hlistening to music and watching movies, and playing games. They couldn't care less about OpenOffice or The GIMP. This is why there is a race between computer makers to bring the desktop computer to the living room. Is there anyone left believing buying a computer will help their children get better grades, anyway?

6 de setembro de 2006

Sérgio Paulinho ganhou ontem uma etapa da Vuelta


Sérgio Paulinho fez um feito que nenhum português tinha alcançado nos últimos 17 anos: vencer uma etapa da Volta à Espanha em bicicleta.
Aconteceu ontem, na 10.ª etapa da edição deste ano da prova, quando se afastou do grupo de fugitivos que liderava a etapa até à entrada do último Km, altura em que o Paulinho atacou, conseguindo uma vantagem que não foi superada pelos seus perseguidores, tendo ficado com uma vantagem à chegada de 2 s.

Este Sérgio Paulinho volta a fazer um grande feito a nível internacional, após ter conquistado o título de vice-campeão de estrada nos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004. Essa situação e esta têm várias semelhanças, uma vez que foram ambas em situação de fuga.

Com a ida, para o ano que vem, para a Discovery Channel, pode vir a brilhar em mais provas internacionais, eventualmente conquistando mais vitórias em grandes provas.
Acho-o um corredor completo (sobe bem, bom contra-relogista, é bom rolador, como o provam estas vitórias em fugas), pelo que ainda pode vir a envergar importantes camisolas. O único problema para ele é que poderá não voltar a correr na Volta a Portugal em condições de vencer.

5 de setembro de 2006

Mais uma vez o Caso Mateus

Após uma semana desde que escrevi aqui neste blog sobre este caso do futebol português, muita coisa se passou (embora previsto ou mais do mesmo), mas também perebi melhor as leis e os regulamentos que regem este caso, assim como o próprio.


No entretanto, o que se passou foi a FIFA confirmar que pretende suspender o futebol português (clubes em competições internacionais e selecções), tendo dado o dia 14 de Setembro como data limite para que o caso se solucione.
As pretensões do Leixões não foram ouvidas, tendo sido dado indeferimento ao recurso que o Leixões fez para ser ele quem ficava com o lugar do Gil Vicente, em vez do Belenenses. Este caso tinha poucas bases, principalmente porque os regulamentos estabelecem que, na situação actual do Belenenses, deve ser a equipa que ia descer com melhor classificação a manter-se. Situação semelhante aconteceu na Liga de Honra, quando clubes desistiram. O Leixões não vai recorrer aos tribunais civis, embora ache que o devia fazer. Bem fazem eles, pois para problemas, já chegam os que há com o Gil.
A FPF, após reunião, decidiu que seria mesmo o Gil Vicente quem devia descer, mantendo-se válida a decisão do Conselho de Justiça. Decidiu também invocar utilidade pública para suspender as decisões dos tribunais.
O presidente da FPF reuniu-se com o presidente da Liga, assim como com o Secretário de Estado de Desporto, onde discutiram este caso. Gilberto Madaíl, como presidente da FPF foi convocado para uma reunião na sede da FIFA, onde se reuniu, inclusivé, com o seu presidente, dando conta da situação, ouvindo também a posição da FIFA sobre o caso, e a própria decisão de suspender clubes e selecções portuguesas de competições internacionais.
O Gil Vicente mantém a sua posição, tendo delegado nos sócios reunidos numa Assembleia Geral esta semana, se continua com o caso em tribunal, ou se desistem, evitando possíveis consequências, tais como a suspensão do clube de todas as competições, ou até a própria irradiação do clube de todas as competições. O presidente e a direcção já pensaram em criar um novo clube, que começaria nos Distritais, tentando subir rapidamente às divisões principais.

No que toca à justiça do caso, o próprio Gil Vicente foi vítima de si próprio. É que a origem do caso, o Mateus ter sido inscrito como profissional no Gil, quando tinha sido amador na mesma época no Lixa, poderá ter saído de alguma falta de precaução quando contrataram o Mateus. É que o Lixa tinha feito um contracto de contínuo com o Mateus, estando este a jogar no clube. A partir daí o Gil Vicente recorreu aos tribunais, após receber um fax da FPF que alguns dizem ser dúbio, mas para mim é claro que seria apenas relativamente àquele caso, colocando uma acção no tribunal de Braga, mas como não foi autorizado a inscrever o jogador, disse ao jogador para recorrer ao tribunal do Porto, onde o Mateus foi autorizado a jogar, mas depois o próprio tribunal viu que não tinha competência para julgar o caso.
As trapalhadas começaram aí, e vão até hoje. São o caso dos juízes do Conselho de Disciplina da Liga, que saem do CD, voltam, votam sem quorum, ou quase, etc.

O Gil, quando recentemente recorreu aos tribunais, foi por causa da descida de divisão, não sobre a regularidade da inscrição do Mateus. Em virtude disso, está actualmente suspenso das competições não profissionais pela mão da FPF, ou seja, de todas aquelas em que a federação tem poder.

O presidente do Gil Vicente apareceu numa entrevista na RTP 1 no fim da semana passada onde, além de não responder ao que lhe pediam, nem se calava, e ainda veio com casos antigos para justificar que o Gil é um clube perseguido. Enfim.

Agora a FPF vai invocar o interesse público, baseado no fax da FIFA que suspende os clubes e selecções portugueses das competições internacionais, mas o Gil Vicente diz que não há interesse público. Haja discernimento. Se o futebol em Portugal não é interesse público, o que será? Podemos ir pela auto-estima dos portugueses, presente e futura, dadas as esperanças das selecções portuguesas para as próximas competições, sejam o dinheiro e a economia que o futebol mexem, seja muita coisa. Até seria interessante que não fosse interessa público, até seria bom, mas o que há vê-se.

A meu ver, o Gil Vicente deve descer de divisão, mas não tenho 100% de certezas, já tive mais.

As mais belas rotundas

Num país onde as rotundas proliferam, umas vezes com razão, outras porque é moda ou por outra razão qualquer que não vem ajudar nada, fica um ligação para um blog onde constam algumas rotundas portuguesas, o blog As mais belas rotundas de Portugal, integrado n' O dolo eventual.

2 de setembro de 2006

Conversão de vídeos em baixa resolução para alta resolução

Há uma empresa, a Motion DSP, que, usando tecnologia militar, criou um software que permite converter um vídeo gravado em baixa reolução para uma resolução alta.

Um exemplo:


Muito bom, não é?